Laboratório Associado 02 - (UFRGS)

- Responsável: Rogério Margis

- Atividades do Laboratório junto ao INCT                                                                                 Colaboradores

Sequenciar um genótipo de espécies nativas do Brasil (pitangueira).

Sequenciar transcriptomas associados à resposta a seca de espécies nativas do Brasil (amendoim silvestre; pitangueira; Clúsia; e cajueiro) por sequenciamento em larga escala.

LA5

Identificar e selecionar in silico genes candidatos relacionados à tolerância à seca de espécies nativas (amendoim silvestre; pitangueira; Clúsia; e cajueiro).

LA5

Identificar InDels e SNPs em genes candidatos de espécies nativas associadas à resposta a seca (amendoim silvestre; pitangueira; e cajueiro).

LA5

Validar in vitro o perfil de expressão dos genes candidatos para tolerância à secos obtidos de espécies nativas do Brasil (amendoim silvestre; pitangueira; Clúsia; e cajueiro).

LA5

Sequenciar em plataforma Illumina fração de pequenos RNAs, e seus mRNA-alvos, e RNAs circulares de plantas (Arachis; Musa; soja; pitangueira; cajueiro) submetidas a estresses bióticos e/ou abióticos.

LA1, LA5, LA6 e LA9

Analisar dados de sequenciamento para verificar estado de metilação de promotores de genes nas vias metabólicas de interesse.

LA3 LA5 LA6 e LA9

Validar a função de genes de plantas identificados nos IDs 1 e 2 potencialmente envolvidos nos mecanismos de tolerância à seca em plantas de Arabidopsis, arroz ou setária via estratégias de superexpressão ou silenciamento.

LA1, LA3, LA4, LA5 e LA11

Organizar, manter e compartilhar um banco in vivo dos ativos de inovação obtidos no projeto compartilhado pelos membros do INCT.

Todos os LAs

Please reload

- Descrição do Laboratório

Os esforços de pesquisa em nosso laboratório têm como foco a prospecção e caracterização de genes envolvidos na resposta de plantas a estresses biótico e abiótico. Ênfase: Soja (Glycine max), Jackbean (Canavalia ensiformis) e Solanum nigrum. Abordagens: Análise da expressão gênica; Silenciamento de genes; Superexpressão; Localização subcelular de produtos gênicos. Para a transformação genética, usamos principalmente o bombardeamento de partículas, mas estamos ganhando experiência na transformação mediada por Agrobacterium. Tecidos embriogênicos são usados como alvos para transformação. 

- Linhas de Pesquisa


• Resposta de plantas nativas Neotropicais e de plantas cultivadas frente a estresses abióticos: seca e salinidade

• Identificação de genes relacionado a adaptação e tolerância de plantas aos estresses abióticos

• Caracterização da rede de interação entre microRNAs – circRNAs e mRNAs na regulação da expressão gênica

• Estudo dos mecanismos e quantificação dos eventos de edição de mRNAs em cloroplastos em resposta a estresses.

- Infraestrutura

O Departamento de Biofísica e o Centro de Biotecnologia da UFRGS possui um laboratório com infraestrutura para análises de expressão gênica, um laboratório de Biologia Molecular, uma casa de vegetação e um laboratório de bioinformática. Equipamentos principais disponíveis: aparelhos de PCR em tempo real, Step-One 96, ABI-7500 e CFX-384 BioRad, cabines de fluxo laminar, sistemas para eletroforeses de DNA, RNA e proteínas, , espectrofotômetro, fluorímetro, , termocicladores de PCR, centrífuga analítica e preparativa. No Departamento de Genética conta com O laboratório de Cultura de Tecidos Vegetais e Transformação Genética que possui certificação- CQB.

Nossa Equipe

Rogerio MARGIS

Rogerio Margis concluiu seu doutorado no Institut de Biologie Moleculaire des Plantes, IBMP do CNRS, na Université Louis Pasteur de Strasbourg I, França, em 1993. Em 2002 realizou pós-doutorado relacionado com os processos de RNA interferência e produção de microRNAs em plantas no Plant Industry do CSIRO, em Canberra na Austrália. Atualmente é pesquisador do CNPq e Professor Titular no Departamento de Biofísica e Centro de Biotecnologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Membro Titular da Academia Brasileira de Ciências desde 2016. No período de 1994 a 2003 foi professor adjunto pela UFRJ. Na UFRGS atua como pesquisador do núcleo permanente e orientador nos programas de pós-graduação de Genética e Biologia Molecular (PPGBM) e de Biologia Celular e Molecular (PPGBCM). Atualmente participa de projetos de pesquisa relacionados com os temas: processos de RNA interferência, pequenosRNAs e RNAs não codificadores em arroz, soja e espécies nativas neotropicais; ação de proteases cisteínicas e seus inibidores; proteínas relacionadas a estresses abióticos (frio, seca e metais) e estresse oxidativo (APx e GPx). Atua nas áreas de Genética e Bioquímica, com ênfase em Biologia Molecular: regulação da expressão gênica e marcadores moleculares. Em suas atividades profissionais interagiu com mais de uma centena de colaboradores nacionais e internacionais em projetos e co-autorias de trabalhos científicos.

Márcia Pinheiro-Margis

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1983), mestrado em Bioquímica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1987) e doutorado em Biologie Moleculaire Des Plantes - Universite de Strasbourg I - França (1993). Professor Titular do Departamento de Genética da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. É membro Titular da Academia Brasileira de Ciências. Membro titular do Comitê de Assessoramento de Genética (CA-GE) do CNPq entre julho de 2011 e junho de 2014. Foi membro da diretoria da Sociedade Brasileira de Genética (SBG), tendo sido primeira tesoureira, primeira secretária, vice-presidente, e presidente (2016 a 2018). Membro da CTNBio entre março de 2012 a fevereiro de 2014. Coordenadora dos Programas de Pós-Graduação em Genética da Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000-2001) e da Universidade Federal do Rio de Grande do Sul (2011 a 2015). Editor do periódico Genetics and Molecular Biology. Presidente da International Genetics Federation (desde Setembro de 2018). Tem experiência na área de Genética, com ênfase em Genética Vegetal, atuando principalmente nos seguintes temas: respostas de defesa dos vegetais contra estresses abióticos, enzimas do metabolismo antioxidante e genômica funcional de plantas.

Andreia Turchetto-Zolet

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (2002), mestrado em Fisiologia Vegetal pela Universidade Federal de Pelotas (2006) e doutorado em Genética e Biologia Molecular pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2009). Realizou estágio de Pós-Doutorado na área de Genética e Evolução Molecular junto ao PPGBM/UFRGS e atualmente é professora vinculada ao Departamento de Genética na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atua em pesquisas nas áreas de Genômica, Evolução e Filogeografia. Tem experiência em técnicas de biologia molecular como PCR em tempo real, clonagem gênica, sequenciamento de DNA e marcadores moleculares, bem como na utilização de ferramentas de bioinformática. As principais linhas de pesquisa atuais são o estudo de evolução adaptativa em populações de plantas nativas da América do Sul através do uso de abordagens genômicas e Evolução molecular de famílias gênicas. Mãe de uma filha, esteve em licença maternidade de Dezembro de 2015 a maior de 2016.

Please reload

Pós - Doutorado
• Frank Lino Guzman Escudero - Lattes

• João Abreu - Lattes
• Nureyev Ferreira Rodrigues - Lattes


Doutorado
• Erika Frydrych-Capelari  - Lattes


Mestrado
• Natalia Balbinott - Lattes

 

Iniciação Cientifica
• Igor Paim - Lattes

Colaboradores

• Fábio Nogueira – IQ - UFRJ

• Gilberto Domond – IQ - UFRJ

• Felipe dos Santos Maraschin – Dept. Botanica - UFRGS

Contato

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL – UFRGS

Departamento de Biofísica – Sala 206 - LGPP
Av. Bento Gonçalves 9500, Prédio 4342212

Porto Alegre, RS, Brasil
C.Postal 91.501-910

Fone +55 51 3008 6234

E-mail: rogerio.margis@ufrgs.br

Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W5 Norte (final)

Tel: +55 (61) 3448-4705

inctplantstress@gmail.com