Laboratório Associado 09 - (Embrapa Cenargen)

- Responsável: M. Fátima Grossi de Sá;

- Atividades do Laboratório junto ao INCT                                                                                 Colaboradores

Prospectar genes/moléculas vitais para insetos-praga (Helicoverpa armigera e Spodoptera spp.) por sequenciamento em larga escala do transcritoma e validar sua expressão in vitro.

Construir um banco de sequências de genes cry para selecionar novas toxinas com alta atividade tóxica contra S. frugiperda e H. armigera.

Produzir e selecionar toxinas Cry variantes contra S. frugiperda e H. armigera pela aplicação de técnicas de evolução molecular dirigida in vitro (DNA shuffling e phage display).

Identificar in silico moléculas-alvo contra pragas de interesse por desenho de drogas químicas específicas (DDBE) para seleção de compostos com potencial para desenvolvimento de novos nematicidas e inseticidas.

LA06

Identificar e sequenciar isolados de HaSV letais para H. armigera.

Selecionar genes/moléculas vitais para nematoides da galha (Meloidogyne spp.) por análise do seu genoma.

LA05 e LA06

Selecionar potenciais genes envolvidos na resistência a partir de genótipos contrastantes (amendoim; soja; arroz; algodão e café)

LA05

Integrar dados do transcritoma de monocotiledôneas (arroz, milho, trigo, Musa e sorgo) submetidos a déficit hídrico, gerados por sequenciamento massal (Illumina–HiSeq) em projetos anteriores.

LA05, LA06 e LA11

Sequenciar e integrar transcritoma de genótipos tolerantes a seca de Musa spp., Arachis spp., e feijão-caupi submetidos a deficit hídrico combinado com estresse biótico (Meloidogyne spp. ou Mycosphaerella) em bioensaios.

LA01 e LA05

Validar a expressão de genes-chave nas vias metabólicas de resposta das plantas a estresses combinados (biótico x biótico; biótico x abiótico; abiótico x abiótico) por qRT-PCR.

LA01, LA03 e LA05

Identificar in silico promotores responsivos a estresse biótico e abiótico.

LA03, LA08 e LA11

Clonar promotores responsivos a seca e a fitonematoides com atividade em diferentes órgãos (raiz e folha).

LA03 e LA08

Validar promotores por transformação transiente por biolística ou Agrobacterium rhyzogenes em plantas-alvo para teste in vivo de promotores (soja, algodão e milho).

LA03, LA08 e LA10

Validar promotores por transformação estável em plantas alvo para teste in vivo de promotores identificados como promissores nos testes anteriores (soja, algodão e milho).

LA08 e LA10

Sequenciar em plataforma Illumina fração de pequenos RNAs, e seus mRNA-alvos, e RNAs circulares de plantas (Arachis; Musa; soja; pitangueira; cajueiro) submetidas a estresses bióticos e/ou abióticos.

LA01, LA02, LA05 e LA06

Validar a função de genes de plantas identificados no ID 2 potencialmente envolvidos nos mecanismos de resistência a nematoides via estratégias de superexpressão ou silenciamento.

LA05

Validar a função de genes de nematoides potencialmente envolvidos nos mecanismos de parasitismo identificados no ID 1, via estratégias de silenciamento gênico (iRNA) em sistemas-modelo.

LA05

Avaliar o potencial dos ativos biotecnológicos gerados para fins de proteção intelectual.

LA05

Desenvolver vetores universais que possuam todos os elementos gênicos patenteados pelas instituições deste INCT e/ou de domínio público e compartilhar com os pesquisadores deste INCT.

Patentear o uso de genes e elementos gênicos validados durante o projeto

LA05

Organizar, manter e compartilhar um banco in vivo dos ativos de inovação obtidos no projeto compartilhado pelos membros do INCT.

Todos os LAs

Gerar PGMs de soja, algodão e milho via estratégias de superexpressão ou silenciamento dos genes de plantas validados no ID4 e avaliar o fenótipo obtido quanto à tolerância à seca.

LA04, LA08 e LA10

Gerar PGMs de soja e algodão via estratégias de superexpressão ou silenciamento dos genes de plantas validados no ID4 e avaliar o fenótipo obtido quanto à resistência a nematoides.

LA08

Gerar PGMs de soja e algodão via estratégias de silenciamento de genes vitais de nematoides identificados no ID 4 e avaliar o fenótipo obtido quanto à resistência a nematoides.

LA08

Gerar PGMs de soja, algodão e milho expressando sequências para silenciamento de genes de insetos identificados no ID 1 e avaliar o fenótipo obtido quanto ao controle de H. armigera e S. frugiperda.

LA10

Gerar PGMs de soja, algodão e milho via estratégias de superexpressão de toxinas e avaliar o fenótipo obtido quanto ao controle de H. armigera e S. frugiperda.

LA08 e LA10

Validação funcional da piramidização de genes envolvidos na resistência múltipla a nematoides, insetos (S. frugiperda ou H. armigera) ou tolerância à seca em soja e algodão GM.

Fenotipar (casa de vegetação ou a campo) população de milho, soja e algodão resultantes de cruzamento de eventos GMs identificados nos IDs 4 e/ou 6 para obter prova de conceito da tolerância à seca e/ou resistência a S. frugiperda, Helicoverpa armigera ou Meloidogyne spp.

LA04, LA10, LA11 LA13 e LA14

Please reload

- Descrição do Laboratório

O Laboratório de Interação Planta-Praga I (LIMPP) da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia é coordenado pela Dra. Maria Fatima Grossi de Sá e tem como objetivo o estudo de interações entre plantas de interesse agrícola, como algodão e soja, e seus mais importantes insetos-praga. Além disso, realiza estudos com estresse hídrico. Neste contexto, a equipe do LIMPP desenvolve diferentes estratégias moleculares, avaliando resistência/tolerância das plantas de interesse com intuito de gerar plantas geneticamente modificadas comerciais que apresentem maior tolerância a estresses bióticos e abióticos.

- Linhas de Pesquisa


• Prospecção de genes/moléculas, peptídeos de interesse para o controle da seca e de pragas em algodão e soja;
• Prospecção de genes/moléculas-alvo em nematoides fitoparasitas (Meloidogyne sp.) de interesse para o controle da praga;

• Prospecção de genes/moléculas-alvo em algodão e soja tolerantes a nematoides fitoparasitas (Meloidogyne sp.) de interesse para o controle da praga;

• Prospecção de pequenos RNAs (small RNAs) em genótipos de plantas resistentes/tolerantes a pragas e a seca que possam estar envolvidos com a respostas a estes estresses;

• Prospecção de genes/moléculas, peptídeos que apresentam eficiência no controle de pragas e tolerância ao déficit hídrico simultaneamente (cross-stress);

• Validação dos ativos prospectados pela sua superexpressão ou silenciamento gênico em plantas-modelo para análise e validação de sua função;

• Validação dos ativos prospectados pela sua superexpressão ou silenciamento gênico em algodão e soja para análise e validação de sua função por análise molecular e bioensaios.

- Infraestrutura

Laboratório

O LIMPP possui todos os equipamentos-padrão necessários para análises moleculares, celulares, genéticas e bioquímicas, além de sistemas de PCR quantitativo e da disponibilidade da plataforma de microscópios (eletrônicos, confocal e dissecção a laser), espectrômetros de massa e servidores com capacidade de análise massal de dados
.

Campo

O LIMPP possui casas de vegetação e câmaras de crescimento com Certificado de Qualidade em Biossegurança (CQB) para desenvolvimento de atividades com plantas geneticamente modificadas (PGMs).

Nossa Equipe

Carolina Vianna Morgante

Possui graduação em Ciências Biológicas pelo Instituto de Biociências da USP (1999), mestrado e doutorado em Agronomia (Genética e Melhoramento de Plantas) pela Universidade de São Paulo (2003 e 2008, respectivamente). Atualmente é pesquisadora na Embrapa Semiárido. Tem experiência na área de Genética, com ênfase em Genética Vegetal e Genética Molecular.

Diana Isolda Clotilde Fernandez

Atualmente é permanent senior researcher do Instituto francês de Pesquisa para o Desenvolvimento- Institut de Recherche pour le Développement (IRD,França) e esta lotada até Novembro 2020 na Embrapa-Cenargen. Tem experiência na área de Bioquímica, com ênfase em Biologia Molecular, atuando principalmente nos seguintes temas: Fitopatologia, interações planta-patogenos, imunidade vegetal, nematoides, ferrugem, arroz, Coffea arabica, Hemileia vastatrix, Meloidogyne.

Isabela Tristan Lourenço Tessutti

Bacharel e Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade de Brasília e possui Mestrado e Doutorado em Biologia Molecular também pela UnB. Atualmente é Analista da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia no Laboratório de Interação Planta-Praga. Suas principais áreas de conhecimento são Biologia Molecular, Bioquímica e Engenharia Genética de Plantas, aplicadas nos temas: Interação molecular planta-praga; Resistência de plantas à estresse bióticos; Tolerância de plantas à estresses abióticos. As principais ferramentas/metodologias aplicadas são: Genômica funcional de fitonematoides, insetos e plantas; Identificação, clonagem e caracterização de genes de fitonematoides, insetos, plantas e bactérias; Transformação genética de plantas; Silenciamento gênico (RNAi) em fitonematoides e insetos; Expressão heteróloga de proteínas em bactérias; Caracterização funcional de promotores de plantas; Determinação espacial e temporal da expressão gênica por meio de PCR em tempo real.

Maria Cristina Mattar da Silva

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1984), graduação em Licenciatura Em Ciências Biológicas pela Universidade de Brasília (1987), mestrado em Ciências Biológicas (Biologia Molecular) pela Universidade de Brasília (1992) e doutorado em Ciências Biológicas (Biologia Molecular) pela Universidade de Brasília (2002). Pesquisador da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia desde 1989. Especialista em biologia molecular de plantas, atua na área de Biotecnologia de vegetal visando a resistencia ao estresse biotico e abiotico. Desenvolve pesquisa com foco nos seguintes temas: Evolução de moleculas in vitro para seleção de variantes com atividade melhorada, estudos moleculares de interação planta-praga visando a resistencia a insetos. Membro da Sociedade Brasileira de BIotecnologia.

Maria Eugenia Lisei de Sa

Possui graduação em Ciências Biológicas pelas Faculdades Metodistas Integradas Isabela Hendrix (1981), mestrado em Agronomia (Fitotecnia) pela Universidade Federal do Ceará (1984), doutorado em Genética e Bioquímica pela Universidade Federal de Uberlândia (2004) e pós-doutorado em Biotecnologia pelo Institute de Recherche pour le Développement-França (2013). É pesquisadora (II) da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais ? EPAMIG e, atualmente, exerce suas atividades profissionais como pesquisadora colaboradora na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia-Cenargen. Tem experiência na área de melhoramento genético de soja com ênfase no desenvolvimento de cultivares de soja com características adequadas para o consumo humano. Desenvolve projetos em parceria com o Cenargen nas áreas de proteínas de defesa vegetal (inibidores de proteinases, inibidores de alfa-amilases, lectinas, defensinas, osmotinas), interação molecular planta-praga, desenvolvimento de plantas geneticamente modificadas para resistência a estresse biótico (insetos e nematoides) e tolerância ao estresse abiótico.

Maria Fátima Grossi de Sá

Maria Fatima Grossi de Sa possui título de bacharel em Ciências Biológicas - modalidade biomedicina pela Universidade de Brasília (1979), mestrado em Ciências Biológicas (Biologia Molecular) pela Universidade de Brasília (1982), doutorado (Doctorat Es Sciences) em Biologia Molecular pela Université Paris VII -França (1987), e pós-doutorado na Plant Genetic System-Ghent-Belgium (1988) e na University of California of San Diego (1995-1996). Atualmente, é pesquisadora Líder de Grupo de Pesquisas do EMBRAPA Recursos Genéticos e Biotecnologia (desde 1989) e professora da Universidade Católica de Brasília (desde 2004). É bolsista de produtividade do CNPq (nível 1A), Membro do Comitê Assessor Internacional da CAPES (desde 2007), membro titular (Ciências Agrárias) da Academia Brasileira de Ciências (eleita em 2011) e membro da World Academy of Science -TWAS (eleita em 2014). Foi presidente da Sociedade Brasileira de Biotecnologia- SBBIOTEC (2008-2013). Entre outros Prêmios, recebeu o Prêmio Scopus 2010 (Elsevier/Capes) e exerceu as funções de Coordenador da Área de Biotecnologia da CAPES e Membro Suplente do CTC-ES (2007-2014). Foi presidente da Sociedade Brasileira de Biotecnologia- SBBIOTEC (2008-2013) Tem experiência na área de Biologia molecular, com ênfase em Engenharia genética vegetal e Biologia molecular de plantas, atuando nos temas: proteinas de defesa vegetal (inibidores de proteinases, inibidores de alfa-amilases, lectinas, defensinas, osmotinas), proteínas inseticidas, interação molecular planta-praga, Desenvolvimento de Plantas GM para resistência a estresse biótico e tolerância a estresse abiótico e Desenvolvimento de biofármacos.

Leonardo Lima Pepino de Macedo

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2005). O curso de Mestrado em Bioquímica foi realizado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2007). Com doutorado concluído pelo programa de Ciência Genômicas e Biotecnologia da Universidade Católica de Brasília (2012). Tem experiência em Bioquímica e Biologia Molecular. Atuando nos seguintes temas: Clonagem e expressão de proteínas em sistemas heterólogos; Bioprospecção de proteínas com atividade entomotóxicas (vicilinas, lectinas, inibidores de proteinases e toxinas Cry) visando o controle de insetos dípteros, lepidópteros e coleópteros; e desenvolvimento de estratégias de silenciamento gênico via RNA interferente (RNAi) para o controle de insetos-praga.

Wagner Alexandre Lucena

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Pernambuco (1994), mestrado em Genética pela Universidade Federal de Pernambuco (1998) e doutorado pela UFRGS (2012). Atualmente é pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Biologia Molecular Vegetal, atuando principalmente nos seguintes temas: Prospecção de genes de interesse agrícola. Bioinformática estrutural (DM e modelagem molecular). Construção de genes cry sintéticos. Algodão Transgênico para controle de insetos-praga e qualidade de fibra. Transcriptoma de insetos-praga. Bacillus thuringiensis, Spodoptera frugiperda, Anthonomus grandis, Heliothis virescens, Pectinophora gossypiella e Alabama argillaceae.

Please reload

Pós - Doutorado
• Clidia Eduarda Moreira Pinto - 
Lattes 

• Fabrício Barbosa Monteiro Arraes - Lattes

• Karina Nascimento da Silva Fragoso - Lattes

• Marcos Fernando Basso - Lattes

• Mayara Holanda de Carvalho - Lattes

• Osmundo Brilhante de Oliveira Neto - Lattes

• Thuanne Pires Ribeiro - Lattes


Doutorado
• 
Alvaro Lorenço Ortolan Salles Filho - Lattes

• Ana Gabriela Borges Leite - Lattes

• Daniel David N. Vasquez - Lattes

• Valdeir Junio Vaz Moreira - Lattes

Mestrado

• Gabriela Cavalcante - Lattes

• Luanna Pinheiro da Albuquerque Freitas Bezerra - Lattes

Paolo Lucas Rodrigues Silva Lattes

Iniciação Cientifica

• Bruno Torres - Lattes

• João Pedro Abreu Sousa - Lattes

• Maisa das Neves - Lattes

• Naiara Cordeiro Santos - Lattes

Colaboradores

• Camila Lins - Lattes

• Fellipe de Sousa Pina - Lattes

• Gilanna Falcon Ferreira - Lattes

• Glênia Melo - Lattes

• Josue Inácio Lemos - Lattes

• Lucas Brayan Andrade - Lattes

• Marcelo Broilo Paganella - Lattes

• Marise Mendonça - Lattes

• Rayane Abreu - Lattes

Contato

Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W5 Norte (final)

Caixa Postal 02372 - Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-900

Fone: 55 61 3448-4705

E-mail fatima.grossi@embrapa.br

Conheça nosso grupo de pesquisa junto a EMBRAPA

Conheça nosso grupo de pesquisa junto ao CNPq

Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W5 Norte (final)

Tel: +55 (61) 3448-4705

inctplantstress@gmail.com